Mamoplastia de aumento

HomeMamoplastia de aumento
Mamoplastia de Aumento

Indicações

A cirurgia plástica de mamoplastia de aumento dos seios, mais popularmente chamada de: prótese de silicone, prótese de mama ou prótese mamaria de silicone é melhor indicada para:

  • pacientes com mamas de pequeno volume (hipoplasia mamaria) e desarmônicas com o resto do corpo e tórax da paciente.
  • pacientes que possuem mamas de volume médio, mas que querem um aumento do volume mamário, desde que haja correta indicação pelo cirurgião para implante de prótese mamaria.
  • pacientes que possuem diferença no tamanho ou formato das mamas (assimetria mamaria).
  • para correção de pequena queda dos seios (ptose), como geralmente ocorre após a amamentação ou gravidez.
  • reconstrução da mama após realização de mastectomias (cirurgia para remoção de tecido mamário por câncer, etc.).
  • reconstrução da mama após realização de mastectomias (cirurgia para remoção de tecido mamário por câncer, etc.).

Contra indicações

Pacientes que possuem uma queda muito acentuada das mamas (flacidez excessiva) devem ser orientadas pelo cirurgião plástico a não realizar apenas a inclusão de prótese mamaria de silicone nos seios, pois continuarão com os seios caídos, sendo que em muitos casos, essa queda pode até mesmo ser acentuada após a colocação da prótese de silicone na mama.

Nesses casos onde a mama tem muita flacidez, realizamos a cirurgia de mastopexia que consiste em levantar as mamas através da remoção do excesso de pele flácida e remontagem das mamas.?

Em casos de mama com pouco volume e flacidez acentuada, a mastopexia pode ser associada ao implante de prótese mamaria de silicone. Nesses casos , o mais recomendado é realizar o procedimento em 2 etapas: primeiramente realizamos a mastopexia ( levantamento dos seios ) e posteriormente ( cerca de 3 meses depois ) o implante de silicone .

Tipos de prótese de mama

Tipos de superfícies das Próteses de Silicone Mamárias

  • implante liso: possui o maior índice de contratura capsular (5 a 6%).
  • implante texturizado: possui superfície com micro-rugosidades visando “quebrar” a formação da cápsula. Apresenta índices menores de contratura capsular do que as próteses de silicone lisas (2 a 3%). São as próteses de silicone mais utilizadas nas cirurgias de mama.
  • implante de poliuretano: possui sua superfície revestida com espuma de poliuretano. Apresenta os menores índices de contratura capsular (0,5%) entre as próteses de mama de silicone existentes, porém é mais sensível à palpação e possui maiores chances de dobras. Utilizada geralmente após contratura capsular intensa com prótese de silicone texturizada.

Tipos de Formato das Próteses de Silicone Mamárias

  • Redondas: São as mais utilizadas por fornecer um resultado mais compatível com o desejo das pacientes, boa projeção mamária, colo destacado e aparência de mamas mais altas. Por terem o formato redonda não existe risco de assimetria ao saírem da posição em que foram colocadas.
  • Em gota: Utilizadas maiormente em casos de reconstrução mamária, não conseguem uma projeção tão boa quanto as próteses redondas, nem um colo tão destacado. Apresentam grande risco de assimetria quando uma ou as duas próteses saem da posição em que foram implantadas.

Tipos de Perfil das Próteses de Silicone Mamárias

  • Baixo: esses tipos de próteses de silicone possuem uma base mais larga e são mais baixas, sendo portanto mais indicadas quando se deseja uma maior projeção do colo mamário e pouca projeção para frente. São pouco utilizadas na prática.
  • Alto: essas próteses de silicone possuem uma base menor e são mais altas, sendo portanto melhor indicadas quando se deseja maior projeção dos seios para frente sem tanta necessidade de preenchimento do colo mamário. As próteses de silicone de perfil alto são as mais requisitadas pela maioria das pacientes.
  • Anatômico: essas próteses de silicone têm um perfil “em gota” e são indicadas para aquelas pacientes que têm mamas com formas e contornos estéticos e se deseja um aumento proporcional das mesmas. Possui projeção frontal menor que as próteses de silicone de perfil alto.

Tipo de preenchimento das próteses de silicone mamárias

  • Solução salina: colocam-se as próteses vazias (apenas os invólucros) e depois, com uma seringa e soro fisiológico vai se preenchendo a prótese até se chegar ao tamanho de mama desejado. Utilizada mais nos EUA e Canadá pois nesses países até pouco tempo ainda era proibido o uso de silicone gel. Possui o inconveniente de se notar esse liquido quando em movimento, ser mais dura e artificial ao toque e possuir o risco de vazamento da solução salina.
  • Gel de silicone: é o preenchimento de prótese mamaria mais utilizado em todo mundo. As próteses de mama mais modernas, utilizam gel de silicone coesivo e não mais liquido. Sendo assim, mesmo que ocorra uma ruptura traumática da prótese, o silicone não irá vazar. À palpação, esses implantes mamários de silicone são imperceptíveis por apresentar densidade e textura bem similares as do tecido mamário.

Vias de acesso

A escolha da via de acesso para inclusão da prótese de silicone na mama irá influenciar apenas na qualidade da cicatriz resultante ao final da cirurgia, pois a via escolhida não interfere no resultado em termos de forma, tamanho da prótese de silicone, etc… O cirurgião plástico deverá discutir com a paciente, a respeito dos prós e contras de cada uma das vias de acesso cirúrgico disponíveis, antes de tomar a decisão. As vias de acesso para colocação das próteses de silicone nos seios podem ser: axilar, infra-mamária ou areolar.

  • Axilar: a cicatriz fica escondida na região da axila e, fica portanto, imperceptível. Geralmente a prótese de silicone é implantada abaixo do músculo. Como o risco de hematomas e equimoses (áreas arroxeadas) é maior nessa via de acesso, bem como alterações de sensibilidade e assimetria mamária, seu uso é bastante restrito na atualidade.
  • Areolar: A cicatriz cirúrgica irá se localizar dentro da região areolar, na metade inferior. Essa via possui uma cicatriz de boa qualidade, a qual geralmente fica imperceptível, porém é reservada apenas para pacientes com aréolas de maior diâmetro, com pelo menos 3cm de diâmetro e/ou para próteses pequenas, alem de possuir o risco elevado de levar a alterações na sensibilidade mamaria (fato que provoca rejeição pela maioria das pacientes).
  • Sulco infra-mamário: A cicatriz irá ficar posicionada no sulco infra-mamario (sulco abaixo das mamas). é a via mais utilizada pela maioria dos cirurgiões plásticos, devido a facilidade do procedimento e do menor índice de complicações. Possui a vantagem do descolamento não passar pelo tecido mamário. é a via mais rápida quanto a duração da cirurgia, porém é a que requer maior atenção e cuidado em relação a qualidade da cicatriz, que geralmente não ultrapassa 4,0 a 5,0 cm de extensão.

Planos de implantação

As próteses mamárias de silicone podem ser inseridas acima ou abaixo do músculo peitoral.

  • Subglandular: A via cirúrgica localizada logo abaixo do tecido glandular é chamada de via subglandular, é a de menos risco de sangramento, de melhor e mais rápida recuperação, com menos sofrimento para a paciente. é indicada quando temos um tecido mamário espesso, com boa resistência e pele firme sem presença de estrias.
  • Submuscular: A via cirúrgica localizada abaixo do músculo, é chamada de via submuscular, e é reservada para aquelas pacientes que possuem pouquíssimo ou quase nenhum tecido mamário, já que tendo pouco tecido para cobri-las, as próteses de silicone podem ficar muito evidentes e com contornos bastante “marcados” dando aquele aspecto característico “de prótese” ou excessivamente arredondado. A recuperação é um pouco mais difícil e demorada precisando de um repouso pós-operatório um pouco mais prolongado que na técnica subglandular.

Devemos destacar que a escolha não depende de uma boa avaliação do cirurgião plástico e corresponde a critérios técnicos claramente definidos durante a consulta.