Quando pensam em fazer a famosa lipoaspiração, normalmente as pessoas ficam ligadas apenas nos benefícios que essa cirurgia plástica vai trazer. Porém, é importante frisar que ela pode sim trazer riscos à saúde, uma vez que envolve anestesia e cortes no corpo.

Primeiramente, é de suma importância que o paciente tenha muita atenção na hora de escolher a clínica e o profissional que fará todo o procedimento. O ideal é não se deixar levar por preços e formas de pagamento muito fora do comum. A pesquisa é fundamental!

Algumas doenças ou situações podem impedir o procedimento, como uma simples gripe, alergias, hipertensão e certos problemas cardíacos. Além disso, pessoas que estão bem acima do peso e apresentam excesso de gordura não devem ser submetidas ao processo, assim como pacientes com mais de 60 anos, pois a idade avançada traz perda da elasticidade da pele (colágeno e elastina), o que facilita a entrada da cânula e pode resultar em perfuração de uma víscera, sem contar que a retirada da gordura (que mantém a pele um pouco mais esticada) vai deixar o corpo mais flácido.

Conheça os principais riscos, que todo paciente precisa ter em mente, sobre a lipoaspiração:

Infecções

As infecções podem ocorrer em qualquer cirurgia, inclusive a lipoaspiração. Alguns médicos prescrevem antibiótico para os pacientes que passam por lipoaspiração, mas outros não. É importante manter o corte limpo, mas mesmo com esse cuidado infecções podem ocorrer depois da lipo. Algumas vezes as infecções podem ser sérias e representar perigo de vida, como em casos de fascite necrosante e síndrome do choque tóxico.

Embolia

A embolia pode ocorrer quando a gordura é solta e entra no sangue através de vasos sanguíneos rompidos durante a lipoaspiração. Pedaços de gordura podem ficar presos nos vasos sanguíneos, aglomerar nos pulmões, ou viajar até o cérebro. Os sinais de embolia pulmonar (coágulos de gordura nos pulmões) podem ser falta de fôlego ou dificuldade de respirar. Se você tiver sinais de embolia pulmonar gordurosa depois da lipoaspiração é importante procurar emergência médica imediatamente. A embolia pulmonar gordurosa pode causar incapacitação permanente e em alguns casos é fatal.

Perfurações nas vísceras

Durante a lipoaspiração é possível perfurar ou danificar órgãos internos. Isso pode acontecer, por exemplo, quando o intestino é perfurado durante lipoaspiração abdominal. Quando órgãos são danificados, pode ser necessária cirurgia para repará-los. Perfurações viscerais também podem ser fatais.

Necrose da pele

A pele acima do local da lipoaspiração pode ficar necrosada ou “morta”. Quando isso acontece, a pele muda de cor. Grandes áreas de pele necrosada podem ficar infectadas por bactérias ou outros microorganismos.

Desequilíbrio de fluídos

O tecido adiposo, que contém muito líquido, é removido durante a lipoaspiração. Além disso, o médico injeta grandes quantidades de fluidos durante o procedimento. Isso pode resultar em desequilíbrio de fluidos. Durante e depois da operação a equipe médica estará atenta a sinais de desequilíbrio de fluidos. Porém, isso pode acontecer depois que o paciente for para casa e pode ter conseqüências sérias como problemas cardíacos, excesso de fluidos nos pulmões, ou problemas renais.

Compressão dos nervos e alterações nas sensações

O paciente pode sofrer parestesia, que é alteração nas sensações no local da lipoaspiração. Essas alterações podem ser em forma de maior sensibilidade (dor) ou perda de qualquer sensibilidade na área. Se essas alterações persistirem por muito tempo (semanas ou meses) o paciente deve informar ao médico. Em alguns casos a parestesia pode ser permanente.

Latest Update: set 14, 2015