O passo inicial para quem pretende fazer uma cirurgia plástica, é escolher o cirurgião certo para a operação, o que muitas vezes gera dúvida nos pacientes. O método disponível para a tomada de decisão envolve basicamente o comportamento do cirurgião durante a consulta, a estrutura da clínica onde ele atende e os resultados de algum conhecido que já operou com ele.

Saiba agora os atributos mais importantes que fazem a diferença na hora de distinguir um cirurgião comum de um mais qualificado:

1.Talento e aptidão com as mãos

Habilidade manual é apenas um pré requisito necessário, mas não vai diferenciar um bom cirurgião. Afinal, o que seria habilidade manual? Nada mais do que a facilidade para realizar determinada tarefa manual com rapidez e precisão. Mas esta mesma tarefa pode ser realizada sem habilidade com o mesmo resultado, porém de maneira mais demorada e com movimentos mais grosseiros.

2. Segurança na tomada de decisões

E o cirurgião decide pela técnica errada, mesmo que ela seja bem executada vai ter um mau resultado. Por exemplo, durante a residência médica, o jovem cirurgião está operando um paciente sob as ordens do professor, que muitas vezes está fora do campo operatório. O professor diz o que deve ser feito e o residente apenas executa. Mesmo que execute perfeitamente, se ele estivesse sozinho nada garante que optaria pela técnica que o professor sugeriu. Então o grande mérito por trás do bom resultado é a experiência do professor para tomar as decisões certas. Na prática os cirurgiões plásticos estão constantemente precisando tomar decisões importantes mesmo antes de colocar as mãos para trabalhar. Este poder de decisão, por sua vez, é uma mistura de três itens: conhecimento teórico, experiência prática e personalidade objetiva. Isso sim é a essência do bom cirurgião.

3. Boa relação com o paciente

De nada adianta o cirurgião possuir todas estas qualidades e não saber se portar em frente ao paciente durante a primeira consulta, onde o paciente o está conhecendo, e principalmente durante as consultas pós-operatórias, onde o paciente está avaliando o resultado. O melhor cirurgião pode não conseguir operar ninguém se durante a consulta for rude ou não prestar atenção suficiente ao paciente que o procura. O paciente gosta de se sentir especial. De nada adianta também o cirurgião fazer um ótimo trabalho se ele for negligente com as dúvidas e solicitações dos pacientes no pós operatório. O mesmo resultado pode deixar um paciente satisfeito, se for bem tratado, ou deixa-lo profundamente frustrado se for negligenciado, inclusive fazendo uma propaganda negativa, mesmo se a cirurgia ficar boa.

Latest Update: set 14, 2015